FIC Redenção - Faculdade Integrada Carajás

Publicado em 18/03/2019

Em Eventos

725

Alunos de Enfermagem da FIC participam de ações em comemoração ao Dia Mundial do Rim

Alunos de Enfermagem da FIC participam de ações em comemoração ao Dia Mundial do Rim

Alunos do terceiro período do curso de Enfermagem da FIC, em parceria com equipe da Nefrologia do Hospital Regional Público do Araguaia - HRPA, promoveram, no último dia 14, várias ações em comemoração do dia Mundial do Rim.

Dia Mundial do Rim 2019: Saúde dos Rins Para Todos

Idealizado pela Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN), o Dia Mundial do Rim é comemorado na segunda quinta-feira do mês de março, este ano a data foi celebrada no dia 14. O objetivo do evento é aumentar a conscientização sobre a crescente presença de doenças renais em todo o mundo e a necessidade de estratégias para a prevenção e o gerenciamento dessas doenças. A saúde do rim para todos, em qualquer lugar, propõe uma cobertura universal de saúde para a prevenção e o tratamento precoce da doença renal.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia, a prevalência da doença renal crônica no mundo é de 7,2% para indivíduos acima de 30 anos e 28% a 46% em indivíduos acima de 64 anos. No Brasil, a estimativa é de que mais de dez milhões de pessoas tenham a doença. Desses, 90 mil estão em diálise (um processo de estímulo artificial da função dos rins, geralmente quando os órgãos tem 10% de funcionamento), número que cresceu mais de 100% nos últimos dez anos.

Insuficiência renal é a condição na qual os rins perdem a capacidade de efetuar suas funções básicas. A insuficiência renal pode ser aguda, quando ocorre súbita e rápida perda da função renal, ou crônica, quando esta perda é lenta, progressiva e irreversível.

Funções dos rins:

- limpar todas as impurezas e as toxinas de nosso corpo;

- regular a água e manter o equilíbrio das substâncias minerais do corpo (sódio, potássio e fósforo);

- liberar hormônios para manter a pressão arterial e regular a produção de células vermelhas no sangue;

- ativar a vitamina D, que mantém a estrutura dos ossos.

Principais causas da insuficiência renal aguda:

- choque circulatório;

- sepse (infecção generalizada);

- desidratação;

- queimaduras extensas;

- excesso de diuréticos;

- obstrução renal;

- insuficiência cardíaca grave;

- glomerulonefrite aguda (inflamação nos glomérulos - unidades filtrantes do rim).

A doença renal crônica está associada a duas doenças de alta incidência na população brasileira: hipertensão arterial e diabetes.

Como o rim é um dos responsáveis pelo controle da pressão arterial, quando ele não funciona adequadamente há alteração nos níveis de pressão. A mudança dos níveis de pressão também sobrecarrega os rins. Portanto, a hipertensão pode ser a causa ou a consequência da disfunção renal, e seu controle é fundamental para a prevenção da doença.

Já a diabetes pode danificar os vasos sanguíneos dos rins, interferindo no funcionamento destes órgãos, que não conseguem filtrar o sangue corretamente. Mais de 25% das pessoas com diabetes tipo I e 5 a 10% dos portadores de diabetes tipo II desenvolvem insuficiência renal.

Outras causas são: nefrite (inflamação dos rins), cistos hereditários, infecções urinárias frequentes que danificam o trato urinário e doenças congênitas.

Sintomas:

A progressão lenta da doença permite que o organismo se adapte à diminuição da função renal. Por isso, muitas vezes a doença não manifesta sintomas até que haja um comprometimento grave dos rins. Nesses casos, os sinais são:

- aumento do volume e alteração na cor da urina;

- incômodo ao urinar;

- inchaço nos olhos, tornozelos e pés;

- dor lombar;

- anemia;

- fraqueza;

- enjôos e vômitos;

- alteração na pressão arterial.

Diagnóstico:

A disfunção renal pode ser identificada por meio de dois exames: um de análise da urina e outro de sangue. O primeiro identifica a presença de uma proteína (albumina) na urina, e o exame de sangue verifica a presença de outra, a creatinina. Com a função debilitada, os rins eliminam ou absorvem substâncias de forma desordenada, causando desequilíbrio no organismo.

Tratamento:

A insuficiência renal pode ser tratada com medicamentos e controle da dieta. Nos casos mais extremos pode ser necessária a realização de diálise ou transplante renal, como terapêutica definitiva de substituição da função renal.

Prevenção:

O primeiro passo é prevenir o desenvolvimento da hipertensão arterial e controlar a diabetes, doenças que mais levam à insuficiência renal.

- conhecer o histórico de doenças da sua família;

- controlar os níveis de pressão;

- realizar avaliação médica anual, principalmente após os quarenta anos;

- seguir uma dieta equilibrada, com baixa ingestão de sal e de açúcar;

- controlar seu peso;

- exercitar-se regularmente;

- não fumar;

- se fizer uso de bebidas alcoólicas, que seja de forma moderada;

- monitorar seus níveis de colesterol;

- evitar o uso de medicamentos sem orientação médica.

 

Fonte: Ministério da Saúde

FIC Redenção - Faculdade Integrada Carajás
FIC Redenção - Faculdade Integrada Carajás
Acessibilidade


Programas Para Deficentes Visuais