FIC Redenção - Faculdade Integrada Carajás

Publicado em 14/09/2018

Em Leitura

174

Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio

Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio

A cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo. São mais 800 mil suicídios por ano segundo dados da Organização Mundial de Saúde. No Brasil, foram registrados quase 61 mil suicídios entre os anos de 2011 e 2016. 62% das vítimas morreram por enforcamento.

Setembro é o mês mundial de prevenção do suicídio, chamado também de Setembro Amarelo. O assunto que já foi um tabu muito maior, ainda enfrenta grandes dificuldades na identificação de sinais, oferta e busca por ajuda, justamente pelos preconceitos e falta de informação.

O ano de 2017 foi um marco nacional nesse quesito com a ocorrência de alguns fatores que colaboraram a população como um todo a dar mais atenção ao tema e procurar informações. Em 2018, o CVV - Centro de Valorização da Vida, uma das entidades mobilizadoras do Setembro Amarelo no Brasil, programou diversas atividades em todas as cidades nas quais possui um de seus mais de 90 postos de atendimento.

Alguns exemplos são caminhadas, palestras, balões amarelos, pontos turísticos e edifícios públicos iluminados, distribuição de folhetos e atendimentos em locais públicos.

A ideia é auxiliar na quebra de tabus e na conscientização da sociedade sobre o tema. Contribuir para que cada um possa colaborar com a prevenção. A questão é complexa, mas é preciso falar. O suicídio pode ser prevenido com informação. A identificação de sinais, a oferta e a busca por ajuda ainda enfrentam barreiras muitas vezes por preconceitos. Falar sobre suicídio costuma ser delicado, até mesmo pronunciar a palavra provoca às vezes uma situação de desconforto. Algo como já foi a lepra ou o câncer. Com a diferença que a dor psíquica em muitas situações é encarado como de menor importância que a dor física.

Conhecer um pouco mais sobre o tema, buscar ajuda, saber que frases como “vou desaparecer”, “vou deixar vocês em paz”, “eu queria dormir e nunca mais acordar” podem expressar ideias ou intenções suicidas. Um sinal de alerta que precisa ser compreendido como comunicação e que não deve ser ignorado.

A falta de esperança e de visão do futuro , a culpa, a baixa autoestima e a visão negativa da vida, sejam verbalizadas, escrita ou até mesmo em desenhos apontam a necessidade de maior atenção.

Amarelo é a cor da vida, da luz, do sol. Tal como ocorre no Outubro Rosa ou no Novembro Azul, busque informações, procure ajuda, fale abertamente sobre as emoções. A fala auxilia no entendimento dos sentimentos, na compreensão do que se passa dentro de si. Sem julgamentos, contra si ou contra o outro.

Valorize a vida!

Fonte: CVV

 

 

 

FIC Redenção - Faculdade Integrada Carajás